GNU/Linux, Google, Graficos, Linux, Pensamentos, Tecnologia

Photoshop perdendo mercado para o Gimp?

Recentemente a Adobe anunciou que irá fazer uma versão online do Photoshop. Isto me remete no mesmo momento a pensar que o Gimp está ganhando mercado e que já é uma ameaça real para a Adobe que ela já está fazendo uma versão menos completa de graça (pelo menos é a premissa que se espera hoje em dia de um serviço web, porém devem haver serviços online pagos).

Mas, pensando no seguinte fato: O Gimp faz quase tudo que o Photoshop faz, é 90 e poucos porcento um Photoshop, é de graça e de sobra ainda tem algumas funcionalidades que ele tem. Então porque manter a febre de só usarmos o que é mais usado se temos uma alternativa viável. Talvez para os casos que não temos valha a pena o investimento que pode chegar a até $850 (a versão CS2), e que mais tarde pode ser recompensado.

Imagem Gimp

Fico revoltado ao ver Universidades gastando muito dinheiro para ter esse produto quando na verdade poderiam estar investindo esse dinheiro em algo melhor, como mais máquinas (imagina o preço da licença no Brasil.. O_o) e ainda sim tendo um programa que vai servir muito bem os estudantes para editoração de imagens.

Então, pense bem. Será vantagem utilizar o Photoshop online? Será que ele não irá manter a cultura do Photoshop e acabará gerando custos para alguém? E se você for realmente trabalhar com ele, seja apenas você ou então em uma empresa, valerá a pena pagar este custo? E ainda, será que o Photoshop teria o mesmo preço se o Gimp não existisse, ou seja, será que não é bom o fato de existir uma alternativa que crie competição no mercado, que faça com que as coisas evoluam e exista menos monopólio?

São perguntas que devem estar bem vivas na nossa mente…

Para ler (conteúdo relacionado):

Pirataria
O software livre nas organizações
Monopólio

O Gimp:

Sítio do grupo de usuários do GIMP (em inglês)
Fórum de usuários do GIMP em português
Comunidade GIMP do Brasil

 

 

Anúncios
Padrão

8 comentários sobre “Photoshop perdendo mercado para o Gimp?

  1. Você disse:
    “…Fico revoltado ao ver Universidades gastando muito dinheiro para ter esse produto…”

    Porém o preço desses softwares para as universidades é absurdamente baixo, quase de graça.
    E porque não utilizar um software realmente de graça (gimp)? Simplesmente porque meio mundo já ouviu falar de Photoshop, e raramente alguém já ouviu falar do gimp.

    Um abraço,
    Renato

  2. “Porém o preço desses softwares para as universidades é absurdamente baixo, quase de graça.”

    Nem sempre. Na PUC, paga-se muito caro pelo Photoshop, São poucas licenças, mas ao invés delas poderiam dar um bom upgrade em todas as máquinas que o possuem.

    “Simplesmente porque meio mundo já ouviu falar de Photoshop, e raramente alguém já ouviu falar do gimp.”

    Verdade, mas que não quer dizer que não possam aprender. Um dia poderão estar trabalhando numa empresa que pede conhecimento no Gimp, ou que só usa o Gimp. Restringir conhecimento e condicionar tecnologias com apenas um produto não é bom.

    Pensa da seguinte maneira. Se você tivesse uma empresa e pudesse garantir a mesma renda com o Photoshop e com o Gimp, só que no primeiro caso tivesse de gastar uns bons mil reais, com certeza você usaria o Gimp. É isso que é importante você levar em consideração, além do fato que o Gimp é um software de código aberto, modificável, e que se ele fizer tudo que o Photoshop faz provavelmente ele o fará melhor.

  3. Michel Ribeiro disse:

    Olá!
    Sou amante do software livre, uso o Ubuntu 6.10 e adoro ele. Mas afirmar que o Gimp é 90 e tantos por cento do Photoshop acho questionável. Creio que um detalhe que daria um supergás ao GImp seria suporte às cores CMYK e o mesmo hoje só opera com cores RGB. O padrão usado em gráficas profissionais é o CMYK então fazer um layout no Gimp e manda-lo pra grafica poderia gerar resultados não esperados.
    Abraço e parabens pelo Blog.

  4. Olá Michel!

    90% é um chute por alto. Mas se você for analisar bem não foge muito disso não.
    Digo isso em termos de funcionalidades e não de características específicas ou no modo em como as coisas são feitas.

    Tem muita empresa/universidade pagando licença ai quando poderia estar usando uma versão que faz quase tudo e não tem custos. Outro fator a se levar em conta é que como quase todo software livre, ele tem muitas melhoras em cima da sua alternativa (menor, menos pesado, a parte de script, formatos, etc).

    Parece que estão fazendo melhoras em alguns sentidos no intuito de superar algumas deficiências que ele ainda tem comparado com o Photoshop. Fiquei sabendo que estavam fazendo algum módulo que adicionaria boa compatibilidade com alguma coisa que o Photoshop tem que parece ser algo que todos que usam Gimp sentem falta.

    Enfim, existem vantagens e desvantagens para ambos os lados. O que não pode haver são incoerências. Se a pessoa precisa, então pague, se não use a alternativa free que resolve na maior parte dos casos.

    Obrigado.
    []s

  5. Opa Lucas,
    Cheguei atrasado na discussão, tenho certa experiência com o GIMP e photoshop, e afirmo que o que falta para o GIMP ganhar mercado é melhorar a usabilidade do software, tarefas que faço em segundos no PS eu gasto horas no GIMP… aquele monte de janela que o software abre me incomoda profundamente…

    Mas concordo com o seu post, as universidades hoje poderiam ao menos mostrar que existem alternativas… nem opção de escolha os universitários possuem…

    O que o Renato fala é importante também, universidade é o foco destas empresas, por isso fornecem licenças bem baratas, e a universidade que é a grande produtora mão de obra para o mercado forma profissionais viciados….

    Em tempo, já conseguiu instalar o GIMPSHOP ?, plugin para tentar colocar a interface do GIMP parecida com o do Photoshop? não vi ninguém que tenha conseguido instalá-la no linux.

    []s
    Marcelo Linhares

    ps:. Parabéns pelo blog, encontrei via Google e depois que caiu a ficha que era o Lucas que tinha trabalhado comigo. hehehe

  6. Marcelo, brigado ai pelo comentário!

    Bom, na verdade o ponto que eu queria tocar era justamente o vício do mercado. Ter somente uma alternativa é como só poder comprar carro de 1 fabricante. No fim, você paga caro pelo produto e ainda sai levando algo talvez não tão bom ou inovador, porque sem concorrência não há muito incentivo pra melhora.

    É claro que muitas vezes a licença para a Universidade é barata, mas nem sempre. No caso da Adobe, tanto o Photoshop quanto o Cold Fusion estão em preços um tanto quanto superestimados. O instituto de Biologia de um Universidade que conheço, paga pela licença de alguns Photoshops – e paga caro – porque é tendência de mercado, porque acha que assim vai estar atendendo os alunos. A intenção é boa, mas as máquinas que estão em falta poderiam ser melhoradas ou até mais delas poderiam ser compradas se o Gimp fosse utilizado. Acho que os estudantes não perderiam com isso, até teriam mais facilidade pois estariam acostumados a mexer no Gimp e no Photoshop (talvez em casa, naquela versão que as pessoas baixam da internet em casa). Talvez até seja esse o motivo da Universidade comprar: as pessoas estão acostumadas a usar o Photoshop em casa sem pagar e por isso nunca levam em conta o custo do produto, que em algum momento alguém terá de pagar (seja ele ou a empresa que ele trabalha – se ele tiver uma empresa pior pra ele).

    Então fica essa cultura única de uso que no fundo é prejudicial pro mercado inteiro.

    O GimpShop eu não usei ainda não. Já ouvi falar que ele funciona bem, que fica parecido com o Photoshop, mas não ele vá incluir algum recurso extra que o Photoshop inclui… Talvez seja melhor Googlar pra descobrir isso.

    []s

    Lucas Arruda

  7. vitor_vtm disse:

    Na questão econômica não se descute, nem de interface, isto já está claro para todos, agora na questão funcional dizer que o gimp é 90% um photoshop, só se for na barra de ferramentas, você no minímo está brincando, as funcionalidades básicas do ps sim possuem no gimp, como a blending mode, menu adjustments quase todos, etc. Agora digam algo relativo a essas funcionalidades se existem ou se parecam no gimp, como variations, photo philter, vanishing point, match color, actions, e principalmente a type tool, move tool, layer style, brush tool etc.
    Nâo possuo nada contra o gimp, pelo contrário torço pelo máximo do seu desenvolvimento, agora não venham dizer que é 90% um photoshop, e nem que é o mais parecido, o fireworks, photopaint e o photophilter estão muito a frente do gimp.
    Nas Universidades eu concordo com a maioria na questão financeira, agora nas empresas não. As empresas necessitam não apenas de qualidade nas suas tarefas, mas de tempo, essa é a questão chave. E o photosho hoje é o software mais completo e funcional em questão de edição de imagens.

    vtmx22@gmail.com

  8. Para a funções que se precisa na Universidade, o Gimp é 90% ou até 100% do Photoshop.

    Não vou entrar em méritos de o Photoshop tem que o Gimp não tem. O que eu queria expor, preocupação não só minha, mas de professores que fazem o uso do mesmo em Universidades, é o preço absurdo do software tanto para estudantes como para licença de uso pessoal. E, que para a Universidade, e o uso geral que ela faz (nada complexo), o Gimp basta e ainda sobra.

    Sei que o Gimp ainda tem muito pra melhorar, mas não é isto que vem ao caso. Espero que tenha entendido minha preocupação.

    []s

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s